Arquivo do autor:Cesar Cusin

Sobre Cesar Cusin

Doutor em Ciência da Informação pela UNESP. Consultor "ad hoc" da Soyuz Sistemas e do Instituto Döll de Tecnologia e Educação (IDTE). Atua como professor visitante em cursos de Pós-Graduação. Tem publicações internacionais e nacionais nas áreas da Ciência da Informação e da Ciência da Computação, atuando principalmente com arquitetura da informação, desenvolvimento/acessibilidade web e gestão da informação.

BI, visualização de dados e OWP semântica

Business Intelligence (BI) em uma tradução literal significa Inteligência Empresarial ou Inteligência nos Negócios; inteligência esta fundamental para o sucesso de qualquer empresa.

Atualmente as empresas investem valores substanciais em seus parques tecnológicos e em segurança da informação; acertadamente; porém deixando às vezes de lado o investimento para obtenção de informações gerenciais.

Mapeando a Blogosfera

Imagem Retirada da Smashing Magazine, 14/01/2008

Para efeito deste artigo, quanto usamos o termo “informação”, leia-se: um ou mais dados relevantes para uma determinada finalidade, ou seja, um ou mais dados contextualizados que realmente façam sentido para um determinado propósito.

Um bom sistema de BI, devidamente e corretamente “alimentado” (trataremos disso mais adiante neste artigo) pode auxiliar na recuperação dos dados gerando informação relevante, podendo chegar até a fazer previsões e inferências nas tomadas de decisões da empresa.

Implantando uma solução de BI, todos os stakeholders além de visualizarem as mesmas informações (se esta for a intenção) potencializam a possibilidade de extração de informações.

Em tempos no quais precisamos tomar decisões em tempo real, temos que pensar em soluções que proporcionem conteúdo informacional relevante disponível de forma rápida e prática.

Os executivos não podem se ater a leituras intermináveis de relatórios gigantescos, ricos em detalhes, no entanto ter que ficar procurando as informações que almejam. A forma mais expressiva para tanto toma corpo em dashboards, ou seja, indicadores de informação em tempo real.

Um tema também atual é a visualização de dados, tema este que fará com que realmente o BI faça a diferença. Além de várias formas de visualização de dados, temos que pensar na semântica destes dados.

Os dados, para posterior visualização, podem estar disponíveis em sua máquina local ou em grandes data centers, porém para que o conteúdo informacional seja mais rapidamente encontrado ele deve possuir uma semântica rica, ou seja, temos que pensar antes da recuperação, e sim na geração do conteúdo informacional, em sua semântica, eis aí o core do assunto.

Para o BI não importa de onde venham os dados, conta-se com um poderoso processo de Extract, Transform e Load (ETL) que dará conta e deixará as informações disponíveis, desde que com a semântica correta. É óbvio que temos exemplos que empresas que viveram e vivem atualmente sem uma solução de BI, porém seus discursos são os mesmos: informação incorreta, demora para obtenção da mesma, incerteza nos dados apresentados dentre outros problemas.

Para tanto, além da semântica para uma boa e rápida recuperação (visualização) da informação via BI, temos que atentar para outros termos não menos importantes, a saber: padrões web, Open Web Platform (OWP), acessibilidade e usabilidade.

Sabemos que hoje a web é a plataforma de trabalho, para tanto, a informação tem que estar disponível e “visualizável” em qualquer navegador ou dispositivo, para isso devemos adotar os padrões web, ou melhor, os padrões do World Wide Web Consortium (W3C).

Temos que pensar em Open Web Platform (OWP), e para isso eu recomendo um ótimo artigo (http://soyuz.com.br/blog/open-web-platform-epub3-e-o-mercado-editorial/) que cobre o tema.

Para que esse mesmo conteúdo informacional seja realmente acessado ele tem que ter acessibilidade, ou seja, que seja possível chegar até o seu conteúdo independente se tenho ou não algum tipo de necessidade especial, seja ela permanente ou temporária.

E por último, usabilidade. A informação tem que ter usabilidade, ou seja, que seja fácil de interagir com a mesma sem ter que ficar “dando voltas” para encontrar ou entender o conteúdo informacional, temos que contar com um ambiente sugestivo o bastante para otimizar o trabalho.

O tema BI é muito extenso e por aqui não se encerra, temos que pensar, além disso, no seu uso no dia-a-dia empresarial, aí um bom sistema de BI servirá de fomento para um olhar micro sobre a empresa via Corporate Performance Management (CPM), um olhar macro via Enterprise Performance Management (EPM) ou um olhar sobre negócio da empresa como um todo via Business Performance Management (BPM), mas isso é assunto para outro artigo.